quinta-feira, 30 de maio de 2013

Ironman 2013 completado.

Pois é, mais um Ironman Brasil completado. Estou com sentimentos misturados, feliz demais por ter feito mais uma prova, ter melhorado meu tempo, ter conseguido. Por outro lado, não bati as 12 horas, por uma BESTEIRA imensa na T2, e por conta dessas malditas cãibras, e isso me desaponta muito.
Vamos ao que aconteceu.
Antes da prova: Foram dia difíceis, trabalhei muito lá em Floripa, não deu para concentrar nada. Foi muito estranho. No dia da prova, acordei uma 4 da manhã, tomei um café da manhã normal, e fui com a Cris dirigindo o carro alugado até o local da largada tranquilamente. Animei encontrando o pessoal da RACE lá.
Natação: Eu me coloquei mais na frente na largada. Não do lado direito, onde tava todo mundo, fui mais para o meio. Como emagreci, a roupa de borracha estava confortável. Apesar de não ter treinado muito natação, estava confiante em fazer um bom trecho. Larguei bem, tomei algumas pancadas, mas nada absurdo, e encaixei um ritmo de braçadas rápidas, sem exagero, acompanhando o pessoal à minha volta. Respirei só para a direita, e como larguei do meio, sempre tinha alguém para ser referência, não precisava ficar me orientando tanto. Quando terminei a primeira perna do "M" para começar a segunda volta, olhei no Garmin e estava num ritmo de 1:35/100m. É um ritmo forte, assustei um pouco, apesar de me sentir bem. Resolvi diminuir voluntariamente para a segunda volta, e terminei saindo com 1:03h da água, cruzando o pórtico com 1:04. Tempo forte, melhor do que eu esperava, não estava muito cansado, apesar dos braços sentirem. Não tive cãibras, só uma ameaça quando um cara "montou" em mim por desorientação, e tive que dar um impulso forte para não afundar.
T1: Tentei fazer rápido, mas vi no tempo oficial que fiquei com mais de 8 minutos. Não sei por que demorei tanto.
Bike: Saí bem, o vento estava nas costas, fui num ritmo confortável. Resolvi não olhar muito para o Garmin, ir de acordo com o corpo. Fiz a primeira volta muito forte, apesar de me sentir bem. A média deu acima de 32km/h, virei os 90km com 2h48min. Na segunda volta, o vento estava maior, e naturalmente diminui o ritmo. Na volta, o problema. Estava já bem mais lento, e no km160 tive cãibras. Primeiro na perna esquerda, quando fui esticar, "pulou" para a perna direita, sempre na batata, e pronto. Detonou tudo. Doía demais, era difícil pedalar, eu tentava achar uma posição e nada. Fui pedalando os 20km todo torto, às vezes diminuindo para menos de 20km por hora pois não dava para pedalar, só deslizando e ficando "de pé" na bike, para tentar controlar as cãibras. Cheguei com 5h55min ainda, um bom tempo.
T2: Fiz na segunda transição a maior besteira em todos os Irons. Como cheguei com um tempo bom, apesar do problema com as cãibras, estava confiante em quebrar a barreira das 12 horas, e queria fazer uma transição rápida. Foi difícil trocar de roupa, mas tudo bem, lá fui eu trocar tudo (uso roupa de corrida completa, troco inclusive o shorts), e saí correndo. Estava do lado de fora, quase cruzando o tapete do chip, quando alguém da organização perguntou: "Cadê seu número"? PQP, tirei o número que usei no ciclismo e guardei na sacola (!), saindo para correr sem ele! Tive que voltar para a T2, procurar minha sacola no meio de milhares de outras que ficam amontoadas num canto, para pegar meu número. O nervosismo ainda me fez passar meu número errado para um staff que me ajudava, e não achávamos a sacola de jeito nenhum. Cheguei a pedir para a organização se podiam em dar um novo número. Finalmente achei a sacola, peguei o número, e fui correr. Foram 17 minutos naquela transição...
Corrida: Ainda dava para completar antes das 12 horas, e fui correr de acordo com o que o corpo deixava. E aí a decepção. Logo aos 300m, cãibras! Inacreditável, estava descansado, bem para correr, mas as cãibras não deixavam. Fui sempre no limite do ritmo que as cãibras deixavam, e isso era lento. Se eu acelerava, elas atacava. Fiz os primeiros 21km para 2h11min, o que não era nada mal, mas a cada km tinha que diminuir o passo. Ainda dava para quebrar as 12 horas. Na segunda volta, de 10km, fui mais lento ainda, as cãibras obrigavam a parar e alongar de vez em quando. Quando completei, vi que precisava fazer os últimos 10km a 7min/km para quebrar as 12 horas. Normalmente, eu sorriria e comemoraria. Lá, quase chorei. Não dava para manter nem 7min/km, por conta das cãibras. Não ia dar. Fui correndo mesmo assim, no que desse. Comecei a sentir enjôo também, pois a alimentação deu uma detonada, não segui plano algum para ver se melhorava as cãibras (nessa hora, passa tudo pela cabeça, alguma coisa tinha que mudar), tomei sal, hidratei pacas, mas nada adiantava. No km 36, perto de um posto de abastecimento no final de uma leve subida, as pernas travaram. Fiquei no chão, com cãibras nas duas pernas, não dava para fazer nada. Duas pessoas da barraca me ajudaram, levaram para lá, e encheram minhas pernas de gelo. O alívio foi imediato. Uma delas então falou que só faltavam 6km, o negócio era tentar manter o melhor ritmo possível, e colocar gelo a cada ataque de cãibras, onde quer que fossem (pé, canela, panturrilha, coxa, era tudo). Eles me deram 2 sacos de gelo, e fui assim nos últimos 6km para completar o Iron.
Chegada: E emoção da chegada é sensacional. Encontrei a Cris e as crianças na chegada, e lá fomos nós cruzar aquela linha mais uma vez. Pelas regras, cruzar com mais de 2 pessoas dá uma punição de 20 minutos no tempo da corrida. Sorri, e lá fomos nós receber a justa, merecida e irrisória pena :) Muito feliz, fechei mais um Ironman em 12h19min. Meu melhor tempo até hoje. A foto fala por si só:


Após o Iroman: Como não consegui me esforçar muito, por conta das cãibras, não fiquei tão detonado, exceto a dor nas pernas. Estava treinado para fazer um tempo muito melhor, mas não deu. Mesmo assim, melhorei meu tempo, e aprendi bastante também. Não voltei a treinar ainda, mas já decidi que vou fazer em 2014. Também já estou procurando médicos especialistas para tentar resolver esse problema de cãibras, ver algumas alternativas, tentar solucionar o que me parece o último obstáculo para eu, enfim, quebrar essas 12 horas :) Vai ser divertido tentar!

3 comentários:

Milton disse...

Parabéns Carlos por mais um Ironman. Esses problemas acontecem em provas desse tamanho e dessa complexidade. O importante é que conseguiu terminar. Quanto ao tempo, ainda terá muitos outros para tentar baixar para o que deseja, o mais importante é se divertir durante a prova.
Acompanhei toda tua caminhada aqui e espero acompanhar para os próximos.
Forte abraço!

Rafael Pina Pereira disse...

Show de prova Carlos. Pedreira e encrencada... e é isso que dá mais sabor. Não se decepcione não, completar com encrencas vale tanto ou mais...

Parabéns !!! SHOW. MUITO BOM.

Abraço e até o próximo !

Vagner Lúcio disse...

Parabéns cara! Estou plantando a ideia de fazer o primeiro Ironman, e já me senti motivado,,, e vc continue treinando,,, se é o que te faz feliz, treine! Simples assim!